Parceiro de Conteudo

Cartão de crédito: Mocinho ou Vilão? Conheça 6 dicas importantíssimas sobre o uso dessa forma de pagamento

14 Flares 14 Flares ×

De acordo com uma pesquisa do SPC Brasil, mais de 52 milhões de brasileiros usam o cartão de crédito como forma de pagamento.

Isso representa mais de ¼ da população.

E ¼ da população é muita gente!

Ainda mais se pararmos para pensar que nem todos estão na fase economicamente ativa.

Porém, o estudo também revela dados preocupantes.

Desses mais de 52 milhões, 96% desconhecem as taxas de juros mensais.

E 93% admitem gastar mais do que realmente podem, o que é bem alarmante para quem está tentando fazer um bom planejamento financeiro.

Diante desse cenário nebuloso, o Ramiro Gomes Ferreira, do Clube de Valor veio para trazer algumas dicas importantes para quem usa o cartão de crédito.

Aqui, você vai aprender detalhes, como:

  • A importância de manter um controle financeiro rígido de seus gastos
  • O problema de parcelas compras recorrentes
  • A maior vantagem do cartão de crédito, segundo os próprios consumidores
  • A importância de negociar taxas com a empresa de cartão de crédito
  • Vantagens de aproveitar os programas de vantagem
  • O maior erro de quem vai pagar a fatura do cartão de crédito

Essas são informações práticas que podem te ajudar se você estiver começando sua jornada para alcançar a independência financeira.

Se você já chegou lá, é muito provável que você já faça boa parte do que vou listar a seguir.

Por isso, é muito importante que você compartilhe para que outras pessoas também conheçam essas dicas!

1. Mantenha um controle financeiro minucioso de todas as compras no cartão de crédito

Lembra-se daqueles 93% que admitem gastar mais do que podem?

Não seja esse tipo de pessoa.

Se você se “arrisca” a usar o cartão de crédito, precisa manter um controle constante de todos os gastos que fizer.

E não estou falando em usar uma planilha supercomplexa e cheia de fórmulas complicadas de entender.

Estou falando em anotar cada uma das compras em um papel, bloco de notas, aplicativo ou em uma planilha simples mesmo.

Dessa forma, quando a fatura chegar, o valor cobrado não vai ser uma surpresa para você.

E nem preciso mencionar as vantagens disso.

Sabendo quanto você vai pagar no cartão de crédito, pode fazer um planejamento mais inteligente e quem sabe reservar uma graninha para fazer algum investimento (o que deveria ser a sua prioridade, na verdade).

2. Não parcele compras e despesas recorrentes, como contas de água/luz/telefone e abastecimento do carro

Essa dica é especial para aqueles que usam o cartão de crédito para tudo.

Esse tipo de pessoa paga todas as compras usando essa forma de pagamento.

Conta de luz, água e telefone, condomínio, plano de assinatura de TV, abastecimento do veículo… tudo no crédito.

Há aqueles que até mesmo parcelam a fatura do cartão de crédito no cartão de crédito!

O mesmo vale para as compras de supermercado, onde você pode fazer boas economias com as dicas certas.

Para essas pessoas, eu tenho um aviso muito importante: pare de fazer isso imediatamente!

Pagar compras recorrentes no cartão de crédito pode se transformar em uma bola de neve em pouquíssimo tempo.

E você sabe: bolas de neve podem crescer sozinhas e em uma velocidade assustadora.

É claro que há casos em que a gente pode não conseguir evitar.

Mas fica a dica caso você não queira cair em um buraco sem fim.

3. Não ande com dinheiro e dê preferência para o cartão de crédito ao fazer compras de valores muito altos

Ainda de acordo com a pesquisa do SPC Brasil, a principal vantagem para os brasileiros que usam o cartão de crédito é a segurança.

Afinal, graças a essa forma de pagamento, não precisamos andar com tanto dinheiro no bolso.

Em dias em que a violência urbana tem crescido cada vez mais, isso é realmente importante.

É por isso que a minha dica é pagar contas de valores altos usando o cartão de crédito.

Dessa forma, você não fica com tanto dinheiro na mão correndo o risco de ser assaltado e perder tudo para o ladrão.

Caso seja roubado, o cartão de crédito pode ser rapidamente bloqueado e outro enviado com segurança para a sua casa.

4. Negocie os valores de anuidade ou procure empresas que não cobram essa taxa

Essa dica pode ser uma novidade para muitos consumidores.

Você sabia que há empresas que não cobram taxas de utilização e anuidade do cartão de crédito?

O Nubank e o Digio são ótimos exemplos!

Por isso, sempre é bom considerar essas opções caso você esteja pagando muito caro em anuidade e taxas.

Em alguns casos, o valor anual pode chegar a R$ 300!

É muito dinheiro para ser dado para algo que você pode usar de graça.

Caso não seja possível pedir isenção dessa taxa, converse com o banco para tentar negociar esses valores.

Se você usa o cartão de crédito com frequência, terá mais facilidade nessa negociação.

5. Aproveite os programas de fidelidade para acumular pontos

Acumular pontos é um dos motivos que leva muitas pessoas a preferirem o cartão de crédito como forma de pagamento.

E não há nada de errado com isso.

Afinal, é possível trocar esses pontos por milhas e garantir viagens mais baratas (ou até de graça).

Só não se esqueça do Seguro Viagem e de conhecer o Tratado de Schengen, se o seu passeio envolver a Europa.

Caso você não conheça, os programas de fidelidade recompensam os consumidores a cada vez que usam o cartão de crédito.

Essa é uma boa forma de transformar todos os seus gastos em uma bela viagem no final do ano.

6. Jamais pague o mínimo da sua fatura!

De todas as nossas dicas, essa com certeza é a mais importante.

Atenção: jamais pague o mínimo da sua fatura do cartão de crédito.

Sempre opte por fazer o pagamento integral de sua dívida.

A taxa de juros do rotativo do cartão de crédito ultrapassa facilmente os 400% ao ano, o que pode facilmente se transformar em uma bola de neve bem maior do que parcelar seus gastos recorrentes.

Muitos encaram o pagamento mínimo como uma vantagem, um benefício da fatura.

Mas é a melhor alternativa caso você queira cair em um buraco sem fim.

Portanto, ignore completamente o mínimo da sua fatura e sempre pague o valor integral!

Caso isso não seja possível, vale mais a pena fazer um empréstimo a juros mais baixos do que se envolver com a taxa rotativa do cartão de crédito.

Ou melhor: programa-se para não precisar fazer nem isso.

Mas esse é assunto para outro artigo aqui no Resenha Virtual.

Conclusão: cartão de crédito é um vilão ou um mocinho?

Analisando superficialmente essas dicas (especialmente a última), podemos ter a falsa impressão de que o cartão de crédito é um monstro disfarçado na forma de um plástico.

Isso não é verdade (e, aliás, é mais um mito sobre dinheiro).

O verdadeiro vilão nessa história é o mau uso dessa forma de pagamento.

Se usado de forma correta, com disciplina e planejamento financeiro, o cartão de crédito pode se tornar um aliando em sua busca pela independência financeira.

Portanto, siga essas dicas caso você queira começar a enxergar o cartão de crédito como um mocinho na sua história.

Caso tenha perdido o controle sobre os cartões e deseja colocar as contas em ordem, conheça essas 7 estratégias para organizar o orçamento.

Abraços!

Ramiro.

Ramiro Gomes Ferreira é especialista em investimentos e possui ampla experiência em gestão e análise de valores mobiliários. Sua missão é transmitir todo o conhecimento adquirido em mais de uma década como investidor, para ajudar você a alcançar a sua independência financeira!

Imagens: Shutterstock

14 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 14 14 Flares ×
Parceiro de Conteudo

Sobre o autor | Website

Conteúdo produzido com o apoio de parceiros com o compromisso de disseminar a educação financeira e o acesso gratuito sobre informações de investimentos e conhecimento de qualidade.

eBook GRÁTIS: 3 Dicas Simples para Eliminar as Dívidas 

100% livre de spam.