Cleiton Oliveira

Contas do Início do ano: Dicas para Organizar-se e não se endividar

0 Flares 0 Flares ×

As contas do início do ano são um fantasma para a maioria das pessoas.

No início do ano quando as contas para pagamento são consideradas, geralmente existe o temor de todos.

Pois, após desfrutar das festividades do Natal e Ano Novo, período descansando e das confraternizações, em diversas vezes incluindo viagens, é necessário enfrentar as contas.

E neste momento particularmente, a quantidade de contas do início do ano não são pequenas, a considerar IPTU, IPVA, a matrícula escolar e material escolar, citando somente algumas.

Desta maneira, é importante dedicar um tempo pelo fim do ano para se atentar às finanças.

A dica para as pessoas que não têm dívidas é fazer planejamento dos investimentos e dos gastos para iniciar o ano sem o aperto financeiro.

O fim de ano se caracteriza fase complicada em relação ao orçamento familiar.

Sem contar os gastos com as festas do Natal e virada do ano, há também os impostos do ano que inicia, dentre tantas contas.

Para ter dinheiro em reserva no final do ano e para preparação em relação aos objetivos determinados para o ano que começa, o planejamento das finanças se resume fundamental, e melhor do que apostar em simpatia.

E os que têm dívidas atrasadas devem usar o momento para se inspirar em começar o ano no azul.

Na seqüência serão apresentadas muitas dicas especiais e práticas para iniciar o ano com as contas pagas, com organização e ainda fazer balanço do ano que termina.

Planejamento para Contas do Início do Ano

Os impostos, como exemplo IPVA e IPTU, e a matrícula escolar das crianças se caracterizam algumas das despesas típicas a citar de contas do início do ano.

Essas contas devem ser levadas em consideração antecipadamente para planejar o financeiro do ano novo.

Para que seja evitada dor de cabeça pelo mês de janeiro, o passo inicial é elaborar um mapeamento em detalhes apresentando as despesas totais que geralmente são pagas pelo início de todos os anos.

As faturas do cartão de crédito e extratos do banco, referentes ao ano anterior, podem auxiliar neste processo.

Tudo inicia observando pelo retrovisor. Através deste mapeamento feito, há maior facilidade de notar o peso de tais compromissos sobre o orçamento dos meses iniciais do ano que começa.

Parcelar ou Pagar a vista?

O desconto referente ao pagamento à vista dos impostos normalmente é interessante.

E as pessoas que possuem carro ainda necessitam se preparar para a renovação do seguro.

E pelo final do ano, os pais com filhos na escola podem fazer negociação de quitação antecipada, da quantia das mensalidades e matrícula, o que também normalmente garante descontos favoráveis.

Porém é essencial lembrar-se de mais despesas, sendo como exemplo o uniforme, o material escolar. A depender do colégio, tais itens acrescentam no aumento da mensalidade.

A pesquisa de preços nas várias lojas é sempre uma estratégia adequada para comprar o material.

E pelo orçamento dos meses iniciais do ano, é dever incluir também a contribuição anual aos órgãos da classe, sindicatos ou associações.

Na situação dos profissionais que tenham vínculo com entidades, sendo exemplo OAB, Ordem dos Advogados do Brasil.

Aqueles que usaram cartão de crédito para presentear nas festividades ainda necessitam considerar a quantia referente à fatura na lista dos gastos do mês de janeiro.

E para não arriscar extrapolar o volume das despesas de planejamento ao começo do ano, a alternativa se resume a comprar usando dinheiro ou cartão de débito no Natal.

Para quem está livre de dívidas, é possível utilizar a fatia do décimo terceiro salário e mais recursos extras, para que sejam custeados os gastos do início de ano.

Se o indivíduo notar que a renda não vai ser suficiente, uma solução é a tentativa de enxugar determinadas despesas.

Anotar os Gastos Previstos para o Ano

A ação de anotar despesas previstas no decorrer do ano que inicia possibilita ter uma visão geral de tudo que ocorrerá, assim facilitando no momento de organizar-se para que seja possível pagar cada compromisso.

Desta maneira, a dica é listar os gastos que terá e juntamente ao prazo para pagamento de cada gasto. E colocar com as despesas que já foram listadas.

Por exemplo, em relação às despesas fixas, itens possíveis, condomínio, telefone, aluguel, luz, entre outros. Para mais despesas, o material escolar, impostos, matrícula, e mais.

No que se refere às reservas financeiras, é possível citar os investimentos, a previdência privada, a poupança, entre outros.

E sobre dívidas cita-se de compras parceladas, os empréstimos, etc.

3 Dicas para Economizar e Guardar Sempre

1 – Pesquisar preço e fazer compra à vista

Pode parecer difícil à primeira vista, no entanto, ao planejar, pode-se comprar à vista o que desejar.

As prestações ainda se caracterizam como uma maneira de endividar-se, pois comprometem os recursos do futuro.

E, aquele que faz pesquisa do preço vai pagar menos e a chance deste será aumentada para compra à vista e para conseguir o desconto.

 2 – Retenção de 10% em relação aos rendimentos

Para iniciar a construção de independência em relação às finanças, é dever poupar 10% do que se ganha.

Através do tempo, é possível seguir ao plano de previdência privada para complementação de INSS.

3 – Pedir desconto

Um problema enorme dos brasileiros se resume a vergonha no momento da negociação.

É importante deixar isto de lado, já que não existe problema algum na busca pelo melhor preço.

Se o produto apresentar o valor de R$ 1000 e o mesmo pode ser parcelado de 10 vezes com valor de R$ 100 em cada parcela, com certeza à vista o produto pode ter o preço de 10% a 20% menos.

Conclusão

Depois da organização para que seja possível pagar todas as despesas, recomendo o planejamento das finanças com atenção para o próximo ano.

Como acontecem uma vez anualmente, tais despesas devem ser programadas.

É suficiente dividir a quantia de cada despesa por doze meses, e guardar o valor no decorrer do ano que inicia.

Pelo final do ano, você será capaz de pagar à vista e ainda com desconto, cada despesa do início do ano seguinte, o que é ideal em comparação ao recorrer ao cheque especial.

O ideal é que o dinheiro seja aplicado em investimentos de risco baixo, como exemplo os títulos públicos que fazem acompanhamento de taxa básica de juros, CDBs, ou fundos DI, contanto que a taxa de administração se caracterize menor que 1%.

Esse procedimento também sempre fará com que sobre dinheiro no final do mês.

5 (100%) 1 vote
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×
Cleiton Oliveira

Sobre o autor | Website

Life Coach, Educador Financeiro e autor do livro O Poder do Método –

www.opoderdometodo.com

eBook GRÁTIS: 3 Dicas Simples para Eliminar as Dívidas 

100% livre de spam.