Cleiton Oliveira

5 ações para quitar suas dívidas e sair do vermelho

0 Flares 0 Flares ×
quitar dívidas e sair do vermelho

 

Contratar empréstimos e financiamentos é, muitas vezes, a única alternativa de que o consumidor dispõe para continuar pagando suas contas ou despesas não previstas no orçamento.

Essa contratação geralmente impõe juros altos e se o consumidor não honrar o contrato pontualmente poderá ficar endividado e complicar ainda mais sua situação.

Considerando essa realidade, a Fundação Procon-SP resolveu indicar algumas ações práticas para orientar aqueles que buscam uma solução para o seu endividamento.

5 ações para quitar suas dívidas e sair do vermelho

quitar suas dívidas e sair do vermelho

Veja abaixo quais são as 5 ações para quitar suas dívidas e sair do vermelho

  1. Organize-se
  2. Controle-se
  3. Eduque-se
  4. Ajuste-se
  5. Regularize-se

ORGANIZE-SE

O primeiro passo para quem está endividado é visualizar a extensão do problema.

  • Para tanto, liste detalhadamente:
  • Todas as dívidas (para quem você deve, quanto deve e a quanto tempo);
  • Seus rendimentos (salário, recebimentos extras, colaboração de familiares, aplicações etc.);
  • Suas despesas mensais fixas e variáveis.

Posteriormente visualize onde é possível cortar gastos.

Para anotar todas as dívidas, recomendo que você utilize a Planilha EAD.

Para anotar seus rendimentos e todos os seus gastos, recomendo que você utiliza a Planilha de Orçamento Mensal

Logo, o primeiro passo efetuar um levantamento todas as suas dívidas.

Você até pode ficar com medo de saber o tamanho do rombo em seu orçamento, contudo, é muito importante que você dê esse primeiro passo.

Algumas pessoas não utilizam um controle financeiro por ter medo de saber  sua real situação financeira, porque acreditam não ser possível se libertar do pesadelo das dívidas.

Porém, não há como se livrar deste problema se você não encará-lo de frente.

Por isso, é fundamental efetuar o levantamento das dívidas e realizar um planejamento financeiro para se livrar delas de uma vez por todas.

CONTROLE-SE

Depois de verificar as despesas, pense em alternativas para diminuí-las, mesmo que a princípio pareçam radicais, tais como:


  • Cortar supérfluos, dando prioridade ao que é essencial, a fim de adequar seu padrão de vida aos seus rendimentos;
  • Planejar sempre suas compras, não comprando por impulso e gastando de acordo com o que foi planejado;
  • Pesquisar preços e formas de pagamento antes de comprar qualquer produto;
  • Se a compra for financiada, compare o Custo Efetivo Total (CET) das diversas instituições financeiras, que é uma taxa percentual anual que expressa a soma de todos os custos envolvidos na operação (taxa de juros, tarifas, tributos, seguros e demais despesas);
    Não usar o valor do limite do cheque especial como complemento do salário;
  • Procurar atividades de lazer gratuitas, como passeios a parques públicos, exposições etc.;
  • Evitar sair às compras com cartão de crédito ou talão de cheques. Comprar com dinheiro nos dá a noção mais imediata de quanto estamos gastando.

Efetuando o balanceamento de seu orçamento, você irá descobrir o que é essencial, desperdício e supérfluo.

Primeiro, elimine todos os desperdícios e seu orçamento, esses gastos se comportam como um vazamento, jorrando dinheiro de sua renda sem acrescentar nenhum benefício.

Os supérfluos são gastos que podem proporcionar prazer em sua vida, mas em momentos de endividamento, não são essenciais e podem ser cortados por um período de tempo.

EDUQUE-SE

  • Elabore um plano para controlar todas as despesas. Se for o caso, envolva toda a família;
  • Acompanhe com frequência seu saldo bancário e despesas pagas no cartão de crédito;
  • Procure sempre uma oportunidade de economizar, mesmo em hábitos cotidianos, tais como utilização de energia elétrica, telefone, água, entre outros

É muito importante que você leia livros que tratam sobre o tema Educação Financeira.

Investir em conhecimento rende sempre os melhores juros – Benjamin Franklin

Como o foco deste artigo está na eliminação das dívidas, recomendo fortemente que você baixe GRÁTIS a amostra do livro Como Eliminar as Dívidas – O Método Definitivo.

AJUSTE-SE

  • Após o ajuste nas despesas, calcule quanto realmente pode disponibilizar para quitar suas dívidas;
  • Tente negociá-las diretamente com os credores ou por meio de instituições que promovem reuniões de conciliação e solução de conflitos;
  • Se tiver algum dinheiro aplicado, avalie a possibilidade de utilizá-lo para fazer uma proposta de quitação total ou parcial das dívidas;

Caso não tenha recursos para saldar as dívidas, considere a possibilidade de contratar um empréstimo com juros menores, como é o caso do empréstimo consignado (descontado na folha) ou, ainda, a portabilidade de crédito.

Nesse caso, fique bem atento a todos os valores, principalmente dos juros, taxas e demais encargos, e faça uma avaliação cuidadosa.

REGULARIZE-SE

Ao firmar um acordo de renegociação ou obter a quitação de uma dívida, mantenha tudo bem documentado. O credor deverá providenciar a regularização da situação perante os cadastros de inadimplentes.

Fique Atento!

Cheques sem fundo

Se a dívida envolver a emissão de cheque sem fundo:

  • Procure o credor, efetue o pagamento e solicite a devolução do cheque. Caso o cheque tenha sido extraviado, solicite ao credor a emissão de
    uma carta de anuência (declaração de que o débito está quitado);
  • Caso não localize o credor, peça ao seu banco uma cópia do cheque em que conste o número da instituição financeira, da agência e da conta dele;
  • Com isso, dirija-se até o banco informado para obter o nome completo e endereço residencial/comercial do titular da conta (esse repasse de informação somente ocorrerá com a devida autorização);
  • Apresente o cheque ou a carta de anuência (com firma reconhecida e uma Certidão Negativa de Protestos) ao seu banco, que deve providenciar a retirada de seu nome do cadastro de emitentes de cheque sem fundos (CCF).

Título Protestado

Se houver título protestado em cartório:

  • Dirija-se ao cartório que registrou o protesto e solicite uma certidão para saber quem protestou o título;
  • Pague a dívida ao credor;
  • Solicite uma declaração que comprove a quitação e que autorize o cancelamento do protesto, vá ao cartório e providencie o cancelamento.

SCPC/SERASA

  • Procure a instituição credora (cartão de crédito, loja, bancos, financeiras, etc.) efetue o pagamento ou negocie a dívida;
  • Após a quitação da dívida ou pagamento da primeira parcela do acordo, o credor deverá enviar uma notificação solicitando a exclusão do nome do cadastro de inadimplentes;
  • Caso não saiba o valor da dívida ou desconheça o credor, compareça pessoalmente ao SCPC/SERASA com carteira de identidade e CPF ou efetue a consulta no site Consulta SPC.
  • Lembre-se que para o cancelamento de protesto e exclusão do nome no cadastro de emitentes de cheque sem fundos (CCF) há cobrança de tarifas.
Fonte: Procon
5 (100%) 26 votes
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×
Cleiton Oliveira

Sobre o autor | Website

Life Coach, Educador Financeiro e autor do livro O Poder do Método -www.opoderdometodo.com

eBook GRÁTIS: 3 Dicas Simples para Eliminar as Dívidas 

100% livre de spam.
  • Maria

    É difícil controlar os gastos, ainda mais quando se quer guardar dinheiro para investir em algo… :/ Estou em busca de conhecimento financeiro para mudar isso definitivamente!

    • Investir em conhecimento rendo os melhores frutos. Parabéns

      Um grande abraço!